Apresentação

Apresentação

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Boneca Pequenina Quem Me Quer, Estrela, 1985

Ola, há quanto tempo hein? Hoje venho trazer uma estória pra vocês, que me trouxe lembranças tão gostosas que tive que compartilhar. Essa bonequinha tem uma estória antiga e especial comigo, que começa lá no Natal de 1985. 



Nessa época eu queria demais ganhar uma Quem Me Quer da Estrela, então, quando minha avó Iraci me perguntou o que eu queria de presente de Natal, não pensei duas vezes e como um flash pedi a boneca. Essa conversa foi por telefone, uns dois meses antes do Natal. Imaginem a ansiedade da menina aqui, nos seus 8 aninhos, sonhando dia e noite com a bendita boneca. Bem, chegaram as férias, e como sempre fazíamos, fomos passar uns dias, no começo de dezembro, na casa dos meus avós. 


Em um desses dias por lá, um pouco antes de voltarmos de viagem, estávamos eu minha mãe e minha avó,  no quarto, elas conversando e eu brincando com alguma boneca da minha tia que estava na penteadeira, quando, de repente, minha avó abriu a porta do guarda-roupas e meus olhos imediatamente bateram nos brinquedos que estavam guardados ali. Meus avós costumavam comprar com antecedência todos os presentes dos netos, e naquele momento, descobri que ali era o esconderijo. Em um pulo eu já estava em frente a porta do guarda-roupas, pegando a caixinha rosa com a boneca loira dentro, que me olhava sorrindo. 

Minha mãe e minha avó, percebendo a gafe de terem aberto a porta do esconderijo na minha frente, ficaram pálidas e mudas. Eu olhei pra elas e falei, ainda com a caixa nas mãos : "Olha mãe, uma Quem Me Quer", meu sorriso era o mais feliz e sincero que uma criança possa ter, eu estava tão contente de ter descoberto aquele tesouro,que quase não me continha. As duas ainda estavam em choque me olhando, então virei pra minha avó e perguntei: "Vó, essa não é a  minha Quem Me Quer, não, é?" minha avó, com todo o cuidado do mundo, tirou a boneca das minhas mãos e respondeu : "Não, meu amor, essa eu comprei pra sua priminha." ao que eu sorri grande e disse : "Ah bom, porque eu quero a grande" ^_^ 


Nesse momento minha mãe teve um mini infarte kkkk deu um grito comigo e disse, : "Imagine, mãe, ela quer essa sim" e eu sem entender porque ela estava insistindo, afinal, aquela boneca era pra minha priminha, fui logo respondendo : " Não quero não, eu quero a grande, mãe, você sabe e essa nem é minha, é da minha priminha, ué" kkkk santa inocência. Minha avó, naquela calma que só ela tinha, fechou a porta do guarda-roupa/esconderijo e disse :" Ela está certa, essa não é dela. A dela não comprei ainda, mas quando comprar, será a grande". Minha mãe não sabia onde enfiar a cara e eu não entendia porque ela estava tão chateada rsrsrs Depois de muito tempo que fui entender que aquela era a minha boneca sim, pelo menos, a que tinha sido comprada para mim até então. E com essa confusão toda, sobrou para minha tia, sair correndo e comprar de última hora a boneca grande e me trazer pro Natal. 

O engraçado é que nunca me esqueci disso, e tem alguns meses, essa linda bonequinha, idêntica a que minha avó tinha comprado há 30 anos atrás e que foi impossibilitada, por mim mesma, de me presentear, acabou vindo parar em minha coleção. Foi com uma satisfação e carinho enorme que a recebi. Foi um prazer relembrar essa estória, eu e minha mãe rimos muito e falamos com saudades de minha avó, que fez sua passagem tem alguns anos. Foi muito bom relembrar e posso garantir a vocês que essa menininha hoje tem um cantinho especial em meu coração e em minha coleção.

Um comentário:

  1. Bom dia, colega Gigi!
    Que história mais bacana. É maravilhoso guardar no coração doces lembranças de infância. :)
    Ei, moça!
    Tem postagem novinha lá em "GAM Dolls (2)". Passe lá pra conferir!
    Ficarei feliz com sua visitinha e comentário, sempre tão gentis.
    Estive um longo período sem computador mas agora, estou de volta. Apareça!
    Tenha uma linda terça.
    Abração pra você! :)

    ResponderExcluir

Deixe um comentário. Sua opinião é importante.